Ontem foi o dia internacional da juventude, e aí? É um dia pra comemorar?


Extraído do Blog ideiaquente.com

Blog de Origem

O número de jovens sem emprego atingiu o mais alto índice já registrado no mundo e vai aumentar muito ainda este ano. Os dados são da Organização Internacional do Trabalho (OIT), divulgados ontem para lembrar o Dia Internacional da Juventude a ser celebrado hoje, 12 de agosto. Mas, com essa notícia, devemos comemorar?

A crise econômica que explodiu há quase dois anos nos Estados Unidos trouxe consequências diversas para os trabalhadores dos países pobres. Uma delas foi fato de que 1 a cada 8 jovens ficou sem emprego. De 620 milhões dos que têm de 15 a 24 anos, 81 milhões estavam desempregados no ano passado. São quase 8 milhões a mais de jovens sem emprego do que antes da crise, quando a taxa era de 11,9%. Depois da crise, esse valor pulou para 13%. A OIT mostrou ainda que o desemprego da juventude no próximo ano vai crescer mais e chegar a 12,7%. Além disso, as mulheres jovens são as que mais sofrem com o desemprego, pois alcançaram 13,2% contra 12% de homens da mesma faixa etária.

Subemprego, miséria e falta de esperança

Tanta falta de oportunidade surgiu das condições de subemprego e miséria em que vivem os jovens dos países pobres, como mostra o relatório. Mais de 150 milhões deles sobrevivem com cerca de 1 dólar e 25 centavos por dia. Na América Latina, a quantidade de adolescentes que vivem de emprego informal aumentou durante a crise e no continente ocorrem 69 homicídios para cada 100 mil jovens. Um dos maiores índices do mundo. A tendência de ficar sem emprego e se acostumar com essa realidade pode resultar em uma geração perdida, porque a juventude é capaz de “perder toda a esperança de serem capazes de trabalhar para uma vida decente”, disse um representante da OIT.

Jovens organizados

Ainda neste mês, o MST vai organizar a jornada de lutas da juventude. Um dos principais pontos da mobilização é a falta de escola e trabalho para os mais de 500 mil jovens que vivem nas áreas da reforma agrária, no campo brasileiro. Essa força de organização da juventude do campo nos alerta que a quantidade de jovens brasileiros marginalizados é tão grande e importante que é capaz de cobrar mudanças profundas no modelo econômico do país e inclusive ser parte decisiva na escolha dos governantes.

Anúncios

Deixe um comentário

Nenhum comentário ainda.

Comments RSS TrackBack Identifier URI

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s