RadioFeira e os artistas marginais


A RadioFeira, realizada no dia 04 de setembro, contou com participações mais que especiais. Os escritores Nego Panda e Ornella Rodrigues, ligados ao movimento hip-hop, escrevem textos e poesias sem se apegar às regras clássicas da literatura. No entanto, seus escritos representam bastante da realidade vivida por grande parte da juventude trabalhadora. Vamos conhecer?

_____________________________

– Nego Panda Escritor e Poeta periférico

Praia Grande

LINKS: Palco principal Blog Verso Periférico

A poesia está na vida, tudo a nossa volta é poesia, basta observar uma criança caminhando, os carros passando na rua, um dia de sol ou de chuva, de tudo é possível extrair poesia, não existe regras e todas as pessoas são capazes de produzir. Essa coisa de quarteto, formas, rimas são padrões que precisam cair por terra.

Da senzala a favela

As correntes se quebraram

O cativeiro não existe mais

Liberdade, liberdade

O grito do negro ecoou

Por toda a terra

O sorriso de felicidade

Se comparava a beleza

Da mais formosa flor

Era o fim do sofrimento e da dor

O tempo passou e o negro

Continua sofredor

A senzala só modificou

Continua úmida

E sem as cores da aquarela

Trocaram seu nome

E hoje se chama “FAVELA”.

______________________________

– Ornella Rodrigues Escritora e Poetisa periférica

São Vicente

Link: Ensaio sobre poesia

A literatura de periferia é muito importante, pois ela desmistifica o conceito de que escrever é uma coisa de acadêmico, de gênio que nasce com um dom superior, ou que é uma coisa de gente que recebe uma entidade espiritual e coisa do tipo, sem contar que a simplicidade de se utilizar palavras que utilizamos no dia a dia, aproxima as pessoas, diferente de outras formas, sem desmerecer, mas que para ler é preciso estar acompanhado de um dicionário. Outra coisa de suma importância é apresentar a sociedade que existe literatura na periferia, que existem escritores, escritoras, poetas e poetisas, e boa produção que não tem nada a dever para ninguém.

“Juntas e Misturadas”

As mulheres do HIP HOP

São as mulheres do gueto…

As mulheres do HIP HOP

São as mulheres do keto…

Juntas formam um só exército

Prontas pra mais uma batalha…

Em busca do seu direito

Que tarda, mas não falha!

Anúncios

Deixe um comentário

Nenhum comentário ainda.

Comments RSS TrackBack Identifier URI

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s