Moção sobre Pinheirinho lida na 3ª Mostra de Teatro Olho da Rua – Santos (SP)


O manifesto sobre a invasão da polícia em Pinheirinho (São José dos Campos) foi lido na noite de sexta, dia 27/1/12, no Valongo (Santos), durante programação da 3ª Mostra de Teatro Olho da Rua, que tem a Rádio da Juventude como um dos parceiros.

SOMOS TODOS PINHEIRINHO!

Moção Pinheirinho – Mostra Olho da Rua – Santos.mp3

http://soundcloud.com/radiodajuventude/mo-o-pinheirinho-mostra-olho/download

Moção de Repúdio dos Trabalhadores da Cultura à Política do Coturno em Pinheirinho

De um lado, pelo menos 1.600 famílias que lutam pelo direito de morar no bairro do Pinheirinho, em São José dos Campos (SP), ocupação que tem oito anos de existência. Do outro, mais de 2.000 policiais militares e civis cumprindo ordens da Justiça Estadual e da Prefeitura de São José dos Campos, em favor da massa falida da empresa Selecta, pertencente ao mega-especulador Naji Nahas.

Ainda que não houvesse outras circunstâncias agravantes no caso, já seria possível constatar que as instâncias dos poderes executivo e judiciário fizeram a opção, em Pinheirinho, pela lei que protege a especulação imobiliária, em detrimento do direito das pessoas à moradia.

Vence mais uma vez a política do coturno em prol do capital. De um lado, bombas, armas, gases, helicópteros, tropa de choque. Do outro, dois revólveres apreendidos. Não há notícia de que tenham sido usados. Uma praça de guerra é instalada – numa batalha em que um exército ataca civil.

Não há plano de realocação das famílias. As que não conseguiram ou não quiseram fugir, ou receberam dinheiro para passagens para outras cidades, ou estão sendo mantidas cercadas, com comida racionada, como num campo de concentração. A imprensa não pode entrar no local, não pode fazer entrevistas, e os hospitais da região não podem informar sobre mortos e feridos. O que se quer esconder?

O Governo do Estado lavou as mãos diante do caso, assim como o Superior Tribunal de Justiça. O Governo Federal tardou em agir. A chamada “função social da propriedade”, prevista na Constituição Brasileira, revelou-se assim como peça de ficção, justamente onde a ficção não deveria ser permitida.

Mais uma vez, o Estado assume o papel de “testa de ferro” para as estripulias financeiras da “selecta” casta de milionários e bilionários. A política do coturno em prol do capital vem ganhando espaço. Assim está acontecendo na higienização do bairro da Luz, em São Paulo , preparando-o para a especulação imobiliária; assim vem acontecendo na repressão ao movimento estudantil na USP, minando a resistência à privatização do ensino; assim acontece no campo brasileiro há tanto tempo, em defesa do agronegócio. Os exemplos se multiplicam. E não nos parece fato isolado que, hoje, a quase totalidade dos subprefeitos da cidade de São Paulo sejam coronéis da reserva da PM.

Nós, trabalhadores artistas, expressamos nosso repúdio veemente a esse tipo de política. Mais 1.600 famílias estão nas ruas: a lei foi cumprida. Para quem?

ENTIDADES E MOVIMENTOS PARTICIPANTES:

Avoa! Núcleo Artístico
Brava Cia de Teatro
Buraco d’Oráculo
Cia Antropofágica de Teatro
Cia Estável de Teatro
Cia Ocamorana de Teatro
Grupo Teatral Parlendas
Cia São Jorge de Variedades
Cooperativa Paulista de Teatro
Dolores Bocaaberta Mecatrônica
Estudo de Cena
Kiwi Companhia de Teatro
Movimento de Teatro de Rua
Movimento dos Trabalhadores da Cultura
Núcleo Pavanelli de Teatro de Rua e Circo
Roda do Fomento
Trupe Olho da Rua – Santos – SP
Karina Martins
Núcleo do 184
Trupe Sinhá Zózima
A Jaca Est
Grupo Redimunho de Teatro
Coletivo Núcleo 2
Juliana Rojas (Filme: Trabalhar Cansa)
Atuadoras
Rede Brasileira de Teatro de Rua

3ª Mostra de Teatro Olho da Rua!


Vem pra rua, vem! Começa a 3ª Mostra de Teatro Olho da Rua – Ocupando os espaços públicos. A mostra é realizada pela Trupe Olho da Rua, grupo de teatro de Santos. Veja a programação completa aqui. Também acontece o X Encontro da Rede Brasileira de Teatro de Rua.

A Rádio da Juventude é parceira nessa iniciativa. Vamos ocupar as ruas com cultura!

4º Manifesto ekológico e kultural!


CONTRA O NOVO CÓDIGO (ANTI) FLORESTAL

APOIO ÀS COMUNIDADES INDÍGENAS DO LITORAL

PROGRAMAÇÃO CULTURAL :

POETAS /MÚSICOS /ARTISTAS POPULARES /RITUAL DOS ÍNDIOS GUARANI

Os Pícaros

Vicente Lapa

Chiapas Livre

ONG VERDE AMÉRICA, JD. QUIETUDE – PRAIA GRANDE

(Rua Principal) frente à sede da Associação de bairro
————————————————————————————————————–

REALIZAÇÃO

ONG VERDE AMÉRICA

APOIO

SINDICATOS DOS METALÚRGICOS, BANCÁRIOS E SERVIDORES

Cultura marginal – Semana de arte moderna


por Ailton Martins*

A cultura marginal é uma produção artística que não se enquadra dentro dos padrões tradicionais de se produzir cultura. É uma arte maldita, no sentido de ser arte do deboche, arte do conflito e da provocação, sempre buscando novas formas de expressão e novos olhares num mundo esteticamente voltado para a cultura do belo e do politicamente correto. A cultura marginal tenta aproximar a arte com aspectos coloquiais que possam refletir a realidade sem maquiagem, dando voz a quem não tem voz e incentivar o pensamento critico.

Continue lendo

Tradição revelada


Revelando São Paulo traz à tona as tradições que nem todos os paulistas conhecem


Entre os dias 03 e 06 de junho, Iguape (litoral sul de SP) foi palco de uma grande festa da cultura tradicional paulista. A sétima edição do Revelando São Paulo pretende mostrar o Estado de São Paulo que nem todos os paulistas conhecem.

banda musical de Juquiá (fotos: Guilherme Júnior)

Nos quatro dias, passaram pelo evento bandas marciais e musicais, violeiros, artistas plásticos, culinaristas e diversos tipos de artesãos, que pretendiam envolver ao máximo os visitantes que passaram pelo Centro de Eventos Casemiro Teixeira, onde o encontro foi realizado.

Artefatos em madeira e bambu

O destaque ficou pela grande variedade de artesanatos, que valorizam a estética mas não deixam a funcionalidade de lado. Lá foi possível encontrar artefatos em argila, bambu, brinquedos, esculturas, bonecos gigantes, instrumentos musicais, tecelagens e mais uma grande variedade de trabalhos, que impressiona a cada estande que se visita. Vale ressaltar que muitos destes trabalhos utilizam o reaproveitamento de materiais e seus produtores fazem parte de grupos de Economia Solidária.

Durante a visita ao evento, o repórter Guilherme Júnior conversou com alguns dos artistas que estavam no festival. Eles falaram sobre a importãncia da valorização da cultura tradicional:

A festa acontece anualmente em Iguape, mas também é realizada em várias cidades do Estado, incluindo a Capital. Portanto, se quiser obter outras informações de como conhecer essa riqueza popular, acesse o site da Abaçai Cultura e Arte, entidade que promove o festival.

Confira outras imagens do evento (clique para ampliar):

Cultura para quem?


Programa de 05/06/2010

As políticas culturais, em São Vicente, ainda vêm sendo tratadas de forma artesanal. É isso que foi sendo delimitado pelo debate sobre cultura na Cidade, veiculado no programa Se Liga Na Ideia, no última dia 05 de junho. Desta vez os convidados foram o diretor da produtora Mundo Cultural, Maurício Oliveira, o membro do Conselho Municipal de Juventude de São Vicente e dono do site DeRua, André Cardoso e o jornalista Eduardo Brandão.

Encenação, em 2008 (foto: Jornal Vicentino)

Um dos principais pontos em questão é o que é necessário se ter para produzir cultura. Cardoso defendeu que o governo municipal pouco investe em cultura para além da Encenação de Fundação da Vila de São Vicente, que acontece no mês de janeiro. No entanto, Oliveira rebate dizendo que muitas organizações culturais são “choronas”, isto é, dependem muito de apoio governamental para se sustentar.

José Dionísio de Almeida (foto: Ronaldo Andrade/Jornal Mundo Lusíada)

Em relação ao que vem acontecendo em termos de política cultural, o repórter Ailton Martins conversou com o historiador e assessor da Secretaria Municipal de Cultura, José Dionísio de Almeida. Dividindo o tema em quatro partes, ele faz um apanhado do que o órgão vem desenvolvendo para ampliar o acesso à cultura:

FALTA DE EQUIPAMENTOS DE CULTURA
DIVULGAÇÃO DAS ATIVIDADES CULTURAIS
POLÍTICA CULTURAL EM SÃO VICENTE
PROJETOS E PONTOS DE CULTURA

Por ser um tema amplo, não foi possível se chegar a conclusões absolutas. Mas ficou claro que é preciso avançar muito neste tema, principalmente na abertura de diferentes manifestações culturais e incentivo à produção cultural e artística, com formação de público que prestigie este material humano.